O Cão que Guarda as Estrelas, Takashi Murakami

sexta-feira, 29 de julho de 2016


Sinopse oficial: A história é bastante emotiva, pois conta uma aventura vivida por dois companheiros: um simples senhor, sem dinheiro, empego ou família, e seu cachorro. Os dois farão o possível para viver e sobreviver a sua "viagem" pelo interior do Japão. O grande diferencial da narrativa fica por conta do ponto de vista: Os acontecimentos são narrados sempre pelo olhar do cachorro, e a perspectiva canina dos fatos e seus sentimentos são os companheiros do leitor ao longo das páginas.

   No post sobre o Festival do Japão, comentei que havia encontrado por lá um livro que estava buscando há muito tempo, lembram? Pois hoje eu o recomendo pra vocês e converso um pouco sobre Hoshi Mamoru Inu, aqui no Brasil vendido como O Cão que Guarda as Estrelas. Essa imagem fofa aí de cima, com um lindo cachorrinho em meio à Girassóis, nada mais é do que a capa do livro. Mas não se engane: não espere uma história doce, meiga, levinha e superficial. Hoshi Mamoru Inu é um dos livros mais emocionantes e cativantes que li esse ano. A expressão que dá título ao livro significa algo inalcançável, como um cachorro que contempla as estrelas sem aceitar que não pode alcançá-las.

   A história conta a trajetória de Happy, um cãozinho da raça Akiko. Aparentemente, os japoneses adoram histórias com esses cãezinhos... Quem lembra do Hachiko, aquele do filme com o Richard Gere? Ele tem até uma estátua no Japão em sua homenagem. Pois bem: é com essa mesma premissa sobre amizade que começa O Cão que Guarda As Estrelas, uma história linda e emocionante sobre a lealdade dos animais.








O que há de Estranho em Mim, Gayle Forman

quarta-feira, 27 de julho de 2016

Sinopse oficial: Na primeira ficção de sua carreira, Gayle Forman narra a corajosa saga de cinco garotas presas em uma espécie de centro de tratamento  residencial. Ao internar a filha numa clínica, o pai de Brit acredita que está ajudando a menina, mas a verdade é que o lugar só lhe faz mal. Aos 16 anos, ela se vê diante de um duvidoso método de terapia, que inclui xingar as outras jovens e dedurar as infrações alheias para ganhar a liberdade. Sem saber em quem confiar e determinada a não cooperar com os conselheiros, Brit se isola. Mas não fica sozinha por muito tempo. Logo outras garotas se unem a ela na resistência àquele modo de vida hostil. V, Bebe, Martha e Cassie se tornam seu oásis em meio ao deserto de opressão. Juntas, as cinco amigas vão em busca de uma forma de desafiar o sistema, mostrar ao mundo que não têm nada de desajustadas e dar fim ao suplício de viver numa instituição que as enlouquece.


   Gayle Forman é muito famosa por construir histórias fortes e dramáticas, como Se eu Ficar, por exemplo. Porém, essa é a primeira vez que uma obra dela me atrai pela sinopse: sempre quis ler alguma coisa que se passasse em um sanatório, porque acho a temática muito forte e cheia de potencial pra desenvolver tramas bem feitas e complexas. Contudo, O que há de Estranho em mim é muito mais leve do que parece. Ué, mas como assim um livro que se passa em um reformatório leve? Pois é.








Como escrever melhor

segunda-feira, 25 de julho de 2016


   O gosto por leitura muitas vezes vem acompanhado de uma enorme paixão por escrever. Mas e aí, como mandar bem? Ou ainda: como escrever direitinho sendo que você não gosta (ou anda sem tempo) de ler? Aproveitando a data de hoje (Dia do Escritor!), apesar de não ser profissional, reuni algumas dicas que um dia me ajudaram muito e continuam ajudando. Vai que elas te ajudam também? Confere aí:







Caixa de Pássaros, Josh Malerman

sexta-feira, 22 de julho de 2016


Sinopse oficial: Basta uma olhadela para desencadear um impulso violento e incontrolável que acabará em suicídio. Ninguém é imune e ninguém sabe o que provoca essa reação nas pessoas. Cinco anos depois do surto ter começado, restaram poucos sobreviventes, entre eles Malorie e dois filhos pequenos. Ela sonha em fugir para um local onde a família possa ficar em segurança, mas a viagem que tem pela frente é assustadora: uma decisão errada e eles morrerão.

   Caixa de Pássaros é o romance de estreia de Josh Malerman, vocalista de uma banda de rock chamada The High Strung. Como vocês sabem, a sinopse do livro me atraiu bastante e ele era o único da minha wishlist do primeiro semestre de 2016 que eu ainda não tinha lido. Eu amo um bom suspense, um terror bem feito ou uma temática bem forte, e esse livro parecia ter tudo isso. Mesmo assim, me enganei: Caixa de Pássaros é mais além do tudo isso.








Dias Perfeitos, Raphael Montes

quarta-feira, 20 de julho de 2016


Sinopse: Téo é um estudante de medicina um tanto quanto solitário: suas atividades se resumem basicamente entre cuidar da mãe paraplégica e dissecar cadáveres nas aulas de Anatomia. Em um churrasco que vai contra sua vontade, ele conhece Clarice, uma jovem que sonha em ser roteirista de cinema e está trabalhando em um road movie chamado "Dias Perfeitos". Téo começa a se aproximar de Clarice de forma insistente e diante das recusas, opta por uma atitude drástica: sequestra a garota e inicia uma viagem - a mesma viagem dos personagens do roteiro de Clarice. Dias perfeitos tem um clima sombrio e claustrofóbico de efeito perturbador, repleto de reviravoltas. 
   A sinopse de Dias Perfeitos não me atraiu tanto quanto os outros dois livros de Montes (que inclusive têm resenha aqui no blog, vocês já viram?: Suicidas e O Vilarejo). Contudo, eu sou totalmente encantada pela capacidade de Raphael em envolver o leitor, criar histórias inteligentíssimas e principalmente: em ser sombrio. Muito, mas muito sombrio. A escrita dele é minha favorita entre os autores nacionais atualmente, e hoje eu vou conversar sobre o motivo que fez o rapaz de 24 aninhos entrar de vez na minha estante e no meu coração: seu segundo livro. 







Wishlist - Segundo Semestre de 2016

segunda-feira, 18 de julho de 2016


  Existem dois tipos de pessoas nesse mundo de viciados em livros: as que ignoram listas completamente e as que precisam fazer mais 10 delas. Eu não sou de ficar alucinada com metas de leitura, mas quase sempre acabo fazendo essas listinhas mais como uma ajuda para aqueles momentos de "o que procurar quando não sei mais o que ler". É claro que ao longo do tempo novos livros vão entrando (ou furando) na fila, mas acho sempre legal ter algum tipo de guia pra ajudar a escolher o que começar a ler. Vocês podem conferir minha lista do primeiro semestre deste ano aqui. Nesse post, quero compartilhar com vocês um pouco do que pretendo ler até o final desse ano! Quem sabe você também não se interessa por algum desses? Vem comigo:







Dexter: A Mão Esquerda de Deus, Jeff Lindsay

sexta-feira, 15 de julho de 2016

Sinopse oficial: Dexter Morgan é um educado lobo vestido em pele de ovelha. Ele é atraente e charmoso, mas algo em seu passado fez com que se transformasse numa pessoa diferente. Dexter é um serial killer. Na verdade, é um assassino incomum que extermina apenas aqueles que merecem. Ao mesmo tempo, trabalha como perito da polícia de Miami... Em Dexter, a Mão Esquerda de Deus, o livro que deu origem à aclamada série de TV, o adorável matador depara-se com um concorrente de estilo semelhante ao seu, encanta-se e incomoda-se com ele, prevê seus passos... A escrita requintada de Jeff Lindsay nos faz mergulhar na mente de um dos personagens mais ambíguos da história da literatura de suspense. Nunca o macabro foi tratado com tanto refinamento e leveza. Dexter Morgan é uma obra-prima. 


   Sabe quando você lê uma sinopse de um livro que parece super interessante  e se apaixona de cara? O gênero lhe agrada, a capa não é a mais linda do mundo mas é condizente com o tema... Enfim, tudo te chama para aquela leitura. Mas você simplesmente esquece. Vai adiando, adiando... Até que decide ler o tal livro, nem que seja apenas para matar a curiosidade. Foi assim que decidi ler Dexter: A Mão Esquerda de Deus, na minha lista desde 2010 (pois é! Muito tempo!), dois anos depois de seu lançamento. Ele é o primeiro de uma série de sete livros da autoria de Jeff Lindsay, e se você assim como eu é muito fã de uma boa trama policial pode ser a pedida certa pro seu fim de semana.








5 livros que não consigo ler

quarta-feira, 13 de julho de 2016

      Eu não sei se isso é um problema meu ou acontece com todo mundo, mas algumas vezes eu me apaixono pela capa de um livro, me apaixono ainda mais pela sinopse, começo a ler e... Não rola. Simplesmente isso: não consigo terminar de ler o dito cujo. Eu me esforço bastante em muitos momentos, confesso, pois detesto deixar qualquer coisa inacabada - se comecei um filme, livro ou série, que eu vá até o final! Porém, há vezes em que essa tarefa se torna impossível. E hoje eu vou contar pra vocês 5 vezes em que uma leitura que tinha tudo pra dar certo foi por água abaixo... Quem sabe alguém que leu um desses não me faz mudar de ideia (ou eu descubro que eles realmente não tem nada a ver comigo)?








19º Festival do Japão em São Paulo

segunda-feira, 11 de julho de 2016



   Neste fim de semana fui conhecer o maior festival de cultura japonesa do mundo, que acontece anualmente, por sorte aqui em São Paulo. Não é segredo pra ninguém que o Japão tem uma cultura toda especial e muito forte, super presente em nosso país e que atrai muitos fãs e curiosos (incluindo eu, a louca ocidental que não perde uma oportunidade de se enfiar em qualquer coisa que traga um pouquinho da terra do sol nascente pra mais perto). Hoje trago pra vocês um pouquinho do que foi a experiência de visitar esse super evento!







Um Mais Um, Jojo Moyes

sexta-feira, 8 de julho de 2016

Sinopse oficial (modificada): Há dez anos, Jess Thomas ficou grávida e largou a escola para se casar com Marty. Dois anos atrás, ele saiu de casa e nunca mais voltou. Fazendo faxinas de manhã e trabalhando como garçonete em um pub à noite, Jess mal ganha o suficiente para sustentar a filha Tanzie e o enteado Nicky, que ela cria há oito anos. Jess está muito preocupada com o sensível Nicky, um adolescente gótico e mal-humorado que vive apanhando dos colegas. Já Tanzie, o pequeno gênio da matemática, tem outro problema: ela acabou de receber uma generosa bolsa de estudos em uma escola particular, mas Jess não tem condições de pagar a diferença. Sua única esperança é que a menina vença uma Olimpíada de Matemática que será disputada na Escócia. Mas como eles farão para chegar lá? Enquanto isso, Ed Nicholls decide se refugiar em sua casa de praia por causa de uma denúncia de práticas ilegais envolvendo sua empresa e acaba entrando em mais encrenca, sendo ajudado por Jess. Quando Ed oferece como agradecimento uma carona a família.

   Eu pensei que começaria a ler um daqueles romances que falam apenas sobre um casal que se conheceu de forma inusitada, uma história bonitinha de amor pra adoçar a vida e ponto. Eu (ainda) estava vencida por Como Eu Era Antes de Você, tendo quase certeza de que nenhum livro poderia me emocionar depois daquele. Ledo engano... Jojo Moyes é mesmo impossível, viu. E hoje eu recomendo pro fim de semana de vocês o que meu namorado definiu como "o livro com milhares de personagens na sinopse". E já adianto que um é mais cativante do que o outro.








Ovelha, Gustavo Magnani

quarta-feira, 6 de julho de 2016

Sinopse oficial: Este livro, estreia impressionante de um jovem e talentoso escritor, é o relato pecaminoso de um decadente. A história de um homem religioso e carismático, temente a Deus, mas amante insaciável de sua própria carne exótica, a carne de outros homens. Um pastor gay, casado com uma ex-prostituta, filho de uma fanática religiosa. Neurótico e depravado. E agora condenado. Internado no hospital, debilitado e com um segredo de uma tonelada nas costas, este personagem atormentado decide libertar-se de seus demônios e relatar seu drama. Num relato cru e sem censura, ele literalmente vomita seus trinta anos de calvário e charlatanice na cara da congregação (e de qualquer um que se interesse por um bom inferno). Sexo, paranoia, corrupção e destruição são os ingredientes tóxicos dessa obra provocante, polêmica e inovadora.

   Ovelha: Memórias de Um Pastor Gay já é polêmica por si só, mas parece que o livro de estreia de Gustavo Magnani quer chocar muito, muito mais, e isso fica bem claro logo nas primeiras páginas. Sou muito questionadora em relação a religiões no geral, gosto de críticas bem construídas e sarcasmos bem colocados, e pensei que o livro de Gustavo seria uma grata surpresa em criticar a sociedade, as imposições religiosas, os preconceitos e muito mais de forma corajosa. Será que deu certo? Se você é evangélico, cuidado: a leitura dessa resenha (e principalmente da obra de Gustavo) pode te deixar desconfortável, portanto pense bem em clicar no Continue lendo aqui em baixo, ok? Dito isto, vamos lá.








Notas do Autor - Not Today, Imagine Dragons

segunda-feira, 4 de julho de 2016

Imagem: Divulgação oficial da banda
   Pra animar a segunda-feira, talvez você precise mesmo é de uma boa música - ou quem sabe pra começar suas férias, uhuuul!
   Pois bem: vocês acham mesmo que eu ia dizer que a trilha sonora do filme de Me Before You é excelente e não ia mostrar mais dela pra vocês? (Fiz um post sem spoilers contando sobre o filme! Clica aqui pra conferir se você ainda não viu). Bom, eu sinceramente descobri músicas incríveis e quero apresentá-las pra vocês. Pra quem assim como eu tem o costume de ler enquanto escuta uma boa música, pode ser uma sugestão incrível!
   Resolvi começar com a que é provavelmente uma das músicas mais conhecidas da lista.








Perdão, Leonard Peacock, Matthew Quick

sexta-feira, 1 de julho de 2016


Sinopse oficial: Hoje é o aniversário de Leonard Peacock. Também é o dia em que ele saiu de casa com uma arma na mochila. Porque é hoje que ele vai matar o ex-melhor amigo e depois se suicidar com a P-38 que foi do avô, a pistola do Reich. Mas antes ele quer encontrar e se despedir das quatro pessoas mais importantes de sua vida: Walt, o vizinho obcecado por filmes de Humphrey Bogart; Baback, que estuda na mesma escola que ele e é um virtuose do violino; Lauren, a garota cristã de quem ele gosta e Herr Silverman, o professor que está agora ensinando à turma sobre Holocausto. Encontro após encontro, conversando com cada uma dessas pessoas, o jovem aos poucos revela seus segredos, mas o relógio não para: até o fim do dia Leonard estará morto.

   Pra ser bem sincera sempre sou, mas né, acho que são poucos os livros de literatura jovem atualmente que trazem uma certa profundidade. A não ser um punhado de auto-ajudas, que falam diretamente sobre bullying e outras questões parecidas, é cada vez mais raro encontrar nas estantes algo que seja ao mesmo tempo direcionado a um público mais jovem mas ao mesmo tempo tenha uma temática um pouco mais "pesada", por assim dizer. Foi também por isso que a sinopse de Perdão, Leonard Peacock, de Matthew Quick, me interessou. Assisti o filme de seu famoso O Lado Bom da Vida, e sabia que ele sabia mexer bem com questões delicadas. Resolvi começar a ler a história de um adolescente que pretende se matar até o fim do livro. E olha... Me surpreendi. 


 
© Olhei no rodapé - janeiro/2016. Todos os direitos reservados.
Criado por: Maidy Lacerda
imagem-logo