A Garota Dinamarquesa, David Ebershoff

segunda-feira, 8 de agosto de 2016




    SinopseInspirado em uma história real, este romance inquietante, narrado com elegância e sutileza únicas, apresenta uma trama ousada que transcende os limites de sexo, gênero e localização histórica. A prosa rica e o discurso emocionado transformam esta obra numa história de amor poderosa, que marcará para sempre a vida do leitor.

    O premiado Eddie Redmayne deu vida a Lily; a moça que nasceu no corpo de Einar, talentoso pintor dinamarquês dos anos 20. Hoje o post é delicado, mas faço questão de escrevê-lo com o maior cuidado e apreço possível. Vou contar minha experiência ao ler o livro que deu origem ao delicado e polêmico filme de 2015.







Depois de Você, Jojo Moyes

quarta-feira, 3 de agosto de 2016


Sinopse (editada para evitar spoilers para quem não leu Como Eu Era Antes de Você): Lou está morando em um flat em Londres, trabalhando como garçonete em um pub no aeroporto. Certo dia, após beber muito, ela cai do terraço. O terrível acidente a obriga voltar apara a casa de sua família, mas também a permite conhecer Sam Fielding, um paramédico cujo trabalho é lidar com a vida e a morte, a única pessoa capaz de compreendê-la. Ao se recuperar, Lou sabe que precisa dar uma guinada na própria história e acaba entrando para um grupo terapêutico. Os membros compartilham sabedoria, risadas, frustações e biscoitos horrorosos, além de incentivarem a investir em Sam. Tudo parece começar a se encaixar quando alguém do passado de Will surge e atrapalha os planos de Lou, levando-a a um futuro totalmente diferente.

   Como vocês sabem, Como Eu Era Antes de Você foi um livro que mexeu muito comigo (tem resenha dele aqui!). Uma história autêntica, plausível, sem aqueles clichês e melações manjadas que eu tanto abomino nos romances contemporâneos. Contudo, ele termina de forma muito aberta: é o tipo de livro em que você quer saber o que aconteceu depois, mas ao mesmo tempo tem medo de que sua continuação acabe com a magia da história que já caminhou até ali. Passei um bom tempo colocando na cabeça que, se não gostasse do seu sucessor Depois de Você, não poderia deixar isso afetar o meu amor pelo primeiro livro. E comecei.








Resultado do Sorteio - 6 Meses de Blog

segunda-feira, 1 de agosto de 2016

   Que tal começar a semana com o resultado do Sorteio que tava rolando aqui no blog? Acho justo compartilhar com vocês a forma em que sorteei tudo. Confere aí:

- Uma lista com o nome de todo mundo que participou (na ordem cronológica de participação) foi feita. Cada participante tinha um número.
- Através do site sorteador, saíram as três ganhadoras! Bora ver quem são?







O Cão que Guarda as Estrelas, Takashi Murakami

sexta-feira, 29 de julho de 2016


Sinopse oficial: A história é bastante emotiva, pois conta uma aventura vivida por dois companheiros: um simples senhor, sem dinheiro, empego ou família, e seu cachorro. Os dois farão o possível para viver e sobreviver a sua "viagem" pelo interior do Japão. O grande diferencial da narrativa fica por conta do ponto de vista: Os acontecimentos são narrados sempre pelo olhar do cachorro, e a perspectiva canina dos fatos e seus sentimentos são os companheiros do leitor ao longo das páginas.

   No post sobre o Festival do Japão, comentei que havia encontrado por lá um livro que estava buscando há muito tempo, lembram? Pois hoje eu o recomendo pra vocês e converso um pouco sobre Hoshi Mamoru Inu, aqui no Brasil vendido como O Cão que Guarda as Estrelas. Essa imagem fofa aí de cima, com um lindo cachorrinho em meio à Girassóis, nada mais é do que a capa do livro. Mas não se engane: não espere uma história doce, meiga, levinha e superficial. Hoshi Mamoru Inu é um dos livros mais emocionantes e cativantes que li esse ano. A expressão que dá título ao livro significa algo inalcançável, como um cachorro que contempla as estrelas sem aceitar que não pode alcançá-las.

   A história conta a trajetória de Happy, um cãozinho da raça Akiko. Aparentemente, os japoneses adoram histórias com esses cãezinhos... Quem lembra do Hachiko, aquele do filme com o Richard Gere? Ele tem até uma estátua no Japão em sua homenagem. Pois bem: é com essa mesma premissa sobre amizade que começa O Cão que Guarda As Estrelas, uma história linda e emocionante sobre a lealdade dos animais.








O que há de Estranho em Mim, Gayle Forman

quarta-feira, 27 de julho de 2016

Sinopse oficial: Na primeira ficção de sua carreira, Gayle Forman narra a corajosa saga de cinco garotas presas em uma espécie de centro de tratamento  residencial. Ao internar a filha numa clínica, o pai de Brit acredita que está ajudando a menina, mas a verdade é que o lugar só lhe faz mal. Aos 16 anos, ela se vê diante de um duvidoso método de terapia, que inclui xingar as outras jovens e dedurar as infrações alheias para ganhar a liberdade. Sem saber em quem confiar e determinada a não cooperar com os conselheiros, Brit se isola. Mas não fica sozinha por muito tempo. Logo outras garotas se unem a ela na resistência àquele modo de vida hostil. V, Bebe, Martha e Cassie se tornam seu oásis em meio ao deserto de opressão. Juntas, as cinco amigas vão em busca de uma forma de desafiar o sistema, mostrar ao mundo que não têm nada de desajustadas e dar fim ao suplício de viver numa instituição que as enlouquece.


   Gayle Forman é muito famosa por construir histórias fortes e dramáticas, como Se eu Ficar, por exemplo. Porém, essa é a primeira vez que uma obra dela me atrai pela sinopse: sempre quis ler alguma coisa que se passasse em um sanatório, porque acho a temática muito forte e cheia de potencial pra desenvolver tramas bem feitas e complexas. Contudo, O que há de Estranho em mim é muito mais leve do que parece. Ué, mas como assim um livro que se passa em um reformatório leve? Pois é.








Como escrever melhor

segunda-feira, 25 de julho de 2016


   O gosto por leitura muitas vezes vem acompanhado de uma enorme paixão por escrever. Mas e aí, como mandar bem? Ou ainda: como escrever direitinho sendo que você não gosta (ou anda sem tempo) de ler? Aproveitando a data de hoje (Dia do Escritor!), apesar de não ser profissional, reuni algumas dicas que um dia me ajudaram muito e continuam ajudando. Vai que elas te ajudam também? Confere aí:







Caixa de Pássaros, Josh Malerman

sexta-feira, 22 de julho de 2016


Sinopse oficial: Basta uma olhadela para desencadear um impulso violento e incontrolável que acabará em suicídio. Ninguém é imune e ninguém sabe o que provoca essa reação nas pessoas. Cinco anos depois do surto ter começado, restaram poucos sobreviventes, entre eles Malorie e dois filhos pequenos. Ela sonha em fugir para um local onde a família possa ficar em segurança, mas a viagem que tem pela frente é assustadora: uma decisão errada e eles morrerão.

   Caixa de Pássaros é o romance de estreia de Josh Malerman, vocalista de uma banda de rock chamada The High Strung. Como vocês sabem, a sinopse do livro me atraiu bastante e ele era o único da minha wishlist do primeiro semestre de 2016 que eu ainda não tinha lido. Eu amo um bom suspense, um terror bem feito ou uma temática bem forte, e esse livro parecia ter tudo isso. Mesmo assim, me enganei: Caixa de Pássaros é mais além do tudo isso.








Dias Perfeitos, Raphael Montes

quarta-feira, 20 de julho de 2016


Sinopse: Téo é um estudante de medicina um tanto quanto solitário: suas atividades se resumem basicamente entre cuidar da mãe paraplégica e dissecar cadáveres nas aulas de Anatomia. Em um churrasco que vai contra sua vontade, ele conhece Clarice, uma jovem que sonha em ser roteirista de cinema e está trabalhando em um road movie chamado "Dias Perfeitos". Téo começa a se aproximar de Clarice de forma insistente e diante das recusas, opta por uma atitude drástica: sequestra a garota e inicia uma viagem - a mesma viagem dos personagens do roteiro de Clarice. Dias perfeitos tem um clima sombrio e claustrofóbico de efeito perturbador, repleto de reviravoltas. 
   A sinopse de Dias Perfeitos não me atraiu tanto quanto os outros dois livros de Montes (que inclusive têm resenha aqui no blog, vocês já viram?: Suicidas e O Vilarejo). Contudo, eu sou totalmente encantada pela capacidade de Raphael em envolver o leitor, criar histórias inteligentíssimas e principalmente: em ser sombrio. Muito, mas muito sombrio. A escrita dele é minha favorita entre os autores nacionais atualmente, e hoje eu vou conversar sobre o motivo que fez o rapaz de 24 aninhos entrar de vez na minha estante e no meu coração: seu segundo livro. 







Wishlist - Segundo Semestre de 2016

segunda-feira, 18 de julho de 2016


  Existem dois tipos de pessoas nesse mundo de viciados em livros: as que ignoram listas completamente e as que precisam fazer mais 10 delas. Eu não sou de ficar alucinada com metas de leitura, mas quase sempre acabo fazendo essas listinhas mais como uma ajuda para aqueles momentos de "o que procurar quando não sei mais o que ler". É claro que ao longo do tempo novos livros vão entrando (ou furando) na fila, mas acho sempre legal ter algum tipo de guia pra ajudar a escolher o que começar a ler. Vocês podem conferir minha lista do primeiro semestre deste ano aqui. Nesse post, quero compartilhar com vocês um pouco do que pretendo ler até o final desse ano! Quem sabe você também não se interessa por algum desses? Vem comigo:







Dexter: A Mão Esquerda de Deus, Jeff Lindsay

sexta-feira, 15 de julho de 2016

Sinopse oficial: Dexter Morgan é um educado lobo vestido em pele de ovelha. Ele é atraente e charmoso, mas algo em seu passado fez com que se transformasse numa pessoa diferente. Dexter é um serial killer. Na verdade, é um assassino incomum que extermina apenas aqueles que merecem. Ao mesmo tempo, trabalha como perito da polícia de Miami... Em Dexter, a Mão Esquerda de Deus, o livro que deu origem à aclamada série de TV, o adorável matador depara-se com um concorrente de estilo semelhante ao seu, encanta-se e incomoda-se com ele, prevê seus passos... A escrita requintada de Jeff Lindsay nos faz mergulhar na mente de um dos personagens mais ambíguos da história da literatura de suspense. Nunca o macabro foi tratado com tanto refinamento e leveza. Dexter Morgan é uma obra-prima. 


   Sabe quando você lê uma sinopse de um livro que parece super interessante  e se apaixona de cara? O gênero lhe agrada, a capa não é a mais linda do mundo mas é condizente com o tema... Enfim, tudo te chama para aquela leitura. Mas você simplesmente esquece. Vai adiando, adiando... Até que decide ler o tal livro, nem que seja apenas para matar a curiosidade. Foi assim que decidi ler Dexter: A Mão Esquerda de Deus, na minha lista desde 2010 (pois é! Muito tempo!), dois anos depois de seu lançamento. Ele é o primeiro de uma série de sete livros da autoria de Jeff Lindsay, e se você assim como eu é muito fã de uma boa trama policial pode ser a pedida certa pro seu fim de semana.








5 livros que não consigo ler

quarta-feira, 13 de julho de 2016

      Eu não sei se isso é um problema meu ou acontece com todo mundo, mas algumas vezes eu me apaixono pela capa de um livro, me apaixono ainda mais pela sinopse, começo a ler e... Não rola. Simplesmente isso: não consigo terminar de ler o dito cujo. Eu me esforço bastante em muitos momentos, confesso, pois detesto deixar qualquer coisa inacabada - se comecei um filme, livro ou série, que eu vá até o final! Porém, há vezes em que essa tarefa se torna impossível. E hoje eu vou contar pra vocês 5 vezes em que uma leitura que tinha tudo pra dar certo foi por água abaixo... Quem sabe alguém que leu um desses não me faz mudar de ideia (ou eu descubro que eles realmente não tem nada a ver comigo)?








19º Festival do Japão em São Paulo

segunda-feira, 11 de julho de 2016



   Neste fim de semana fui conhecer o maior festival de cultura japonesa do mundo, que acontece anualmente, por sorte aqui em São Paulo. Não é segredo pra ninguém que o Japão tem uma cultura toda especial e muito forte, super presente em nosso país e que atrai muitos fãs e curiosos (incluindo eu, a louca ocidental que não perde uma oportunidade de se enfiar em qualquer coisa que traga um pouquinho da terra do sol nascente pra mais perto). Hoje trago pra vocês um pouquinho do que foi a experiência de visitar esse super evento!







Um Mais Um, Jojo Moyes

sexta-feira, 8 de julho de 2016

Sinopse oficial (modificada): Há dez anos, Jess Thomas ficou grávida e largou a escola para se casar com Marty. Dois anos atrás, ele saiu de casa e nunca mais voltou. Fazendo faxinas de manhã e trabalhando como garçonete em um pub à noite, Jess mal ganha o suficiente para sustentar a filha Tanzie e o enteado Nicky, que ela cria há oito anos. Jess está muito preocupada com o sensível Nicky, um adolescente gótico e mal-humorado que vive apanhando dos colegas. Já Tanzie, o pequeno gênio da matemática, tem outro problema: ela acabou de receber uma generosa bolsa de estudos em uma escola particular, mas Jess não tem condições de pagar a diferença. Sua única esperança é que a menina vença uma Olimpíada de Matemática que será disputada na Escócia. Mas como eles farão para chegar lá? Enquanto isso, Ed Nicholls decide se refugiar em sua casa de praia por causa de uma denúncia de práticas ilegais envolvendo sua empresa e acaba entrando em mais encrenca, sendo ajudado por Jess. Quando Ed oferece como agradecimento uma carona a família.

   Eu pensei que começaria a ler um daqueles romances que falam apenas sobre um casal que se conheceu de forma inusitada, uma história bonitinha de amor pra adoçar a vida e ponto. Eu (ainda) estava vencida por Como Eu Era Antes de Você, tendo quase certeza de que nenhum livro poderia me emocionar depois daquele. Ledo engano... Jojo Moyes é mesmo impossível, viu. E hoje eu recomendo pro fim de semana de vocês o que meu namorado definiu como "o livro com milhares de personagens na sinopse". E já adianto que um é mais cativante do que o outro.








Ovelha, Gustavo Magnani

quarta-feira, 6 de julho de 2016

Sinopse oficial: Este livro, estreia impressionante de um jovem e talentoso escritor, é o relato pecaminoso de um decadente. A história de um homem religioso e carismático, temente a Deus, mas amante insaciável de sua própria carne exótica, a carne de outros homens. Um pastor gay, casado com uma ex-prostituta, filho de uma fanática religiosa. Neurótico e depravado. E agora condenado. Internado no hospital, debilitado e com um segredo de uma tonelada nas costas, este personagem atormentado decide libertar-se de seus demônios e relatar seu drama. Num relato cru e sem censura, ele literalmente vomita seus trinta anos de calvário e charlatanice na cara da congregação (e de qualquer um que se interesse por um bom inferno). Sexo, paranoia, corrupção e destruição são os ingredientes tóxicos dessa obra provocante, polêmica e inovadora.

   Ovelha: Memórias de Um Pastor Gay já é polêmica por si só, mas parece que o livro de estreia de Gustavo Magnani quer chocar muito, muito mais, e isso fica bem claro logo nas primeiras páginas. Sou muito questionadora em relação a religiões no geral, gosto de críticas bem construídas e sarcasmos bem colocados, e pensei que o livro de Gustavo seria uma grata surpresa em criticar a sociedade, as imposições religiosas, os preconceitos e muito mais de forma corajosa. Será que deu certo? Se você é evangélico, cuidado: a leitura dessa resenha (e principalmente da obra de Gustavo) pode te deixar desconfortável, portanto pense bem em clicar no Continue lendo aqui em baixo, ok? Dito isto, vamos lá.








Notas do Autor - Not Today, Imagine Dragons

segunda-feira, 4 de julho de 2016

Imagem: Divulgação oficial da banda
   Pra animar a segunda-feira, talvez você precise mesmo é de uma boa música - ou quem sabe pra começar suas férias, uhuuul!
   Pois bem: vocês acham mesmo que eu ia dizer que a trilha sonora do filme de Me Before You é excelente e não ia mostrar mais dela pra vocês? (Fiz um post sem spoilers contando sobre o filme! Clica aqui pra conferir se você ainda não viu). Bom, eu sinceramente descobri músicas incríveis e quero apresentá-las pra vocês. Pra quem assim como eu tem o costume de ler enquanto escuta uma boa música, pode ser uma sugestão incrível!
   Resolvi começar com a que é provavelmente uma das músicas mais conhecidas da lista.








Perdão, Leonard Peacock, Matthew Quick

sexta-feira, 1 de julho de 2016


Sinopse oficial: Hoje é o aniversário de Leonard Peacock. Também é o dia em que ele saiu de casa com uma arma na mochila. Porque é hoje que ele vai matar o ex-melhor amigo e depois se suicidar com a P-38 que foi do avô, a pistola do Reich. Mas antes ele quer encontrar e se despedir das quatro pessoas mais importantes de sua vida: Walt, o vizinho obcecado por filmes de Humphrey Bogart; Baback, que estuda na mesma escola que ele e é um virtuose do violino; Lauren, a garota cristã de quem ele gosta e Herr Silverman, o professor que está agora ensinando à turma sobre Holocausto. Encontro após encontro, conversando com cada uma dessas pessoas, o jovem aos poucos revela seus segredos, mas o relógio não para: até o fim do dia Leonard estará morto.

   Pra ser bem sincera sempre sou, mas né, acho que são poucos os livros de literatura jovem atualmente que trazem uma certa profundidade. A não ser um punhado de auto-ajudas, que falam diretamente sobre bullying e outras questões parecidas, é cada vez mais raro encontrar nas estantes algo que seja ao mesmo tempo direcionado a um público mais jovem mas ao mesmo tempo tenha uma temática um pouco mais "pesada", por assim dizer. Foi também por isso que a sinopse de Perdão, Leonard Peacock, de Matthew Quick, me interessou. Assisti o filme de seu famoso O Lado Bom da Vida, e sabia que ele sabia mexer bem com questões delicadas. Resolvi começar a ler a história de um adolescente que pretende se matar até o fim do livro. E olha... Me surpreendi. 







Suicidas, Raphael Montes

quarta-feira, 29 de junho de 2016

Sinopse oficial: Um porão, nove jovens e uma Magnun 608. O que poderia ter levado universitários da elite carioca - aparentemente sem problemas - a participar de uma roleta russa? Um ano depois do trágico evento, que terminou de forma violenta e bizarramente misteriosa, uma nova pista, até então mantida em segredo pela polícia, ilumina o nebuloso caso. Sob o comando da delegada Diana Guimarães, as mães desses jovens são reunidas para tentar entender o que realmente aconteceu, e os motivos que levaram seus filhos a cometer suicídio. Por meio da leitura das anotações feitas por um dos suicidas durante o fatídico episódio, as mães são submersas no turbilhão de momentos que culminaram na morte de seus filhos. A reunião se dá em clima de tensão absoluta, verdades são ditas sem a falsa piedade das máscaras sociais e, sorrateiramente, algo maior começa a se revelar.




   Conheci o trabalho do Raphael Montes ano passado e indiquei seu livro O Vilarejo pra ler no fim de semana, lembram? Fiquei apaixonada com a narrativa e a capacidade dele de envolver o leitor, e desde então os outros livros dele (Suicidas e Dias Perfeitos) entraram definitivamente na minha lista de desejos. Essa semana, com a chegada do Kindle que ganhei de presente (pensa numa pessoa feliz), dei uma guinada nas minhas leituras pendentes e resolvi colocar no topo da lista o aparentemente menos famoso (mas super premiado!) Suicidas. Confesso que tive um medinho de ser um daqueles livros que a crítica fala bem, que ganha vários prêmios mas... Não rola. Eu tenho um verdadeiro talento pra não achar graça em filmes e livros aclamados pela crítica. Bom, vamos falar do que interessa?








SORTEIO - 6 MESES DE OLHEI NO RODAPÉ

segunda-feira, 27 de junho de 2016

Depois de Você (Jojo Moyes) | O Orfanato da Srta. Peregrine para Crianças Peculiares (Ramson Riggs) | Uma Curva no Tempo (Dani Atkins)
   Criei o Olhei no Rodapé ano passado, pra tirar da cabeça a saudade de alguém que eu amava (e ainda amo) e que estava morando à kilômetros de mim. O blog acabou virando muito mais que uma distração, e hoje faço cada post com ainda mais carinho e dedicação do que antes. Pedi por um novo layout, profissional desta vez. Estudo mais português para não cometer nenhum erro grosseiro e abro um sorrisão para cada comentário, novo seguidor no Twitter ou curtida no Facebook. Além disso, ando conhecendo uma galera muito especial pareci narrador da Sessão da Tarde, agora? Que péssimo que partilha a paixão pela leitura. Gente com quem me dou super bem, admiro e ainda quero conhecer. O blog já me fez muito bem em apenas alguns meses! É gostoso partilhar opiniões, saber o que mais pessoas pensam e debater de forma saudável.








A Montanha e o Rio, Da Chen

sexta-feira, 24 de junho de 2016


Sinopse oficial: narra a saga de dois irmãos que trilham caminhos distintos, mas cujas vidas se encontram quando se mesclam inevitavelmente aos acontecimentos que marcam a história política e social da China no final do século XX. Numa trama repleta de conspiração, mistério e paixão, Tan e Shento se tornam inimigos ferozes tanto no campo político quanto no pessoal, pois por um capricho do destino se apaixonam pela mesma mulher. Com esta história envolvente que levou oito anos para ser concluída, Da Chen, conhecido por suas obras memorialísticas, faz sua primeira incursão pela área da ficção. A marca dele está cem por cento presente nesta narrativa que possui também traços do romance histórico e é perpassada pelas milenares tradições do Oriente e suas relações com o mundo ocidental. 

   A Recomendação de leitura para você começar (ou quem sabe fazer completa!) nesse fim de semana é um tanto quanto... Exótica. Digamos que seja muito difícil encontrar pela blogosfera atual, mesmo em blog literários, uma resenha sobre um livro tão expressivo quanto A Montanha e O Rio. Por isso mesmo (e por acreditar fortemente no poder envolvente dele) é que resolvi indicá-lo pra vocês no Domingando dessa semana. 







Especial MBY #5 - Eu amo alguém depressivo. E agora?

quarta-feira, 22 de junho de 2016


   Louisa Clark tem certeza de que pode convencer Will a enxergar a vida de forma positiva. Ela tem a convicção de que pode mostrar a ele todos os aspectos bons de continuar lutando, todos os sorrisos que ele ainda pode dar e todas as aventuras que ele ainda pode viver, mesmo após o acidente. Contudo, o que Louisa se esqueceu (e preciso dizer que aparentemente muitos leitores de Me Before You também) é que Will muito claramente fica depressivo após o acidente. E o que isso muda? Tudo. Esse último post do Especial Me Before You é muito delicado. Vamos conversar sobre o que é amar alguém que tem depressão assim como...Will Traynor.







O "Tinder" de livros! Conheça o Book4You

segunda-feira, 20 de junho de 2016

   Ninguém gosta de segunda-feira, mas eu vou tentar dar uma animada: vocês sabiam que existe um lugar em que vocês conseguem conhecer um livro direto pela sinopse? Aquela mania que muita gente tem (inclusive eu) de dar atenção pra um livro apenas pela sua capa ou seu título pode sumir de vez. E o melhor: não é aplicativo e é de graça!
   O Book4You é um site ainda em fase de experimentação, mas que eu garanto: quebra aquele galho quando você não sabe o que ler! Você escolhe uma categoria (tem várias: para ler em dois dias, Bestsellers, e muito mais) e o site te apresenta uma sinopse. Se não curtir, é só clicar no X. Caso você goste daquela sinopse apresentada e clique no coração, o site te dá o nome do livro e te indica lugares onde você pode comprá-lo! Não é demais? Eu não conhecia e fiquei super viciada, já adicionei uns 10 livros na minha lista de quero ler. Me contem o que acharam?! Beijo e até o próximo post!







Especial Me Before You #4 - O filme!

quinta-feira, 16 de junho de 2016

   A expectativa foi enorme. Desde que li Como Eu Era Antes de Você (vocês lembram da resenha? Tem aqui!), fiquei ansiosíssima pra ver sua adaptação para os cinemas. Sabe aquele medo de um filme simplesmente destrua tudo o que você demorou páginas e páginas para construir na sua imaginação? Pois é. Quem ama ler e nunca voltou do cinema frustrado com algum adaptação que não fez jus ao que esperava, que atire a primeira pedra. Pois esse post é pra contar pra você os motivos pelos quais Me Before You dificilmente vai entrar nessa listinha de decepções. Vem comigo que eu te conto TUDO e sem estragar a surpresa: sem spoilers! Clica no Continue lendo aqui em baixo que é sucesso!








Recomendações do mês - Junho

quarta-feira, 15 de junho de 2016

   Fala, galera! Tô toda feliz hoje porque o blog tá quase alcançando 400 seguidores no Twitter. Agradeço muito a cada pessoa que dedica um pouquinho do seu tempo pra deixar um comentário aqui (faço questão de responder todos) ou nas redes sociais. Eu tenho esse blog porque amo falar sobre o universo da literatura, mas é uma delícia saber que estou sendo ouvida de algum modo.

   Bom, deixando as manifestações de afeto só um pouquinho de lado, hoje eu volto com os posts de recomendação, divulgando aqui no blog endereços que conheci durante meus passeios Internet a fora e que achei muito legais. Lembrando que não é uma troca de favores de forma alguma! É claro que eu fico feliz quando recebo um agradecimento ou comentário por ter indicado alguém, mas faço isso pra divulgar o trabalho de gente que capricha no que faz. Vamos lá?








Especial Me Before You #3

terça-feira, 14 de junho de 2016

Esse post é o terceiro do Especial Me Before You. Não sabe do que se trata? Clica aqui.
   Esse fim de semana quase tive um treco. Além de ganhar um Kindle do namorado (que não lê o blog, mas mesmo assim vou mandar um beijo pra ele: beijo, Victor, amor!), a gente foi pegar um cineminha e adivinhem quem estava com sessões em cartaz? Isso mesmo. Me Before You  teve sessões de pré-estreia durante o fim de semana dos namorados, mas tudo esgotou tão rápido que poucos foram os sortudos a verem o filme. Além disso, fiquei sabendo que as meninas do Curiosa Metamorfose tiveram a péssima experiência de pegarem sessão com um pessoal que simplesmente dava risada nos momentos emocionantes do filme. Ninguém merece! Eu passei por isso em Garota Dinamarquesa e não foi nada agradável. As pessoas poderiam ter um pouco mais de noção nos cinemas, né? Enfim, deixando o desabafo de lado... Você sabe se a cidade com o castelo retratado no livro de fato existe? E a decisão de Will, é possível de ser tomada de fato? Se você não leu o livro, cuidado! Pode conter spoilers!








O Orfanato da Srta. Peregrine..., Ransom Riggs


Foto por: A Quimera blog
Sinopse oficial: Eleito uma das 100 obras mais importantes da literatura jovem de todos os tempos, O Orfanato da Srta. Peregrine para Crianças Peculiares, é um romance que mistura ficção e fotografia. A história começa com uma tragédia familiar que lança Jacob, um rapaz de 16 anos, em uma jornada até uma ilha remota na costa do País de Gales, onde descobre as ruínas do Orfanato da Srta. Peregrine para Crianças Peculiares. Enquanto Jacob explora os quartos e corredores abandonados, fica claro que as crianças do orfanato são muito mais do que simplesmente peculiares. Elas podem ter sido perigoas e confinadas na ilha deserta por um bom motivo. E, de algum modo - por mais impossível que possa parecer - ainda podem estar vivas.

     Quanto tempo sem resenhas! Mas voltei com tudo. Esse livro é um daqueles que você dá de cara na livraria e enlouquece pelo título + capa, sabe? Pelo menos foi assim comigo. Achei a capa esquisita e o título mais ainda, e confesso que adoro uma bizarrice... Não pensei duas vezes e trouxe pra casa; só mais tarde descobri que se trata de uma trilogia seguida ainda por A Cidade dos Etéreos e Library of Souls, este último ainda não lançado oficialmente (o título tem tradução livre para algo como A Biblioteca de Almas. Se tem algo que Ransom Riggs faz bem é escolher título!). No Brasil, a editora responsável pela publicação da saga é a Leya. Finalmente, eu resolvi dar uma chance pro livro sobre As crianças X-men, como disse meu namorado...







NOVO LAYOUT!

segunda-feira, 13 de junho de 2016

   E aí, todo mundo sobreviveu ao fim de semana de Dia dos Namorados? Não sei vocês, mas eu sempre acho que fica tudo lotado em fins de semana com datas comemorativas. Fora que quem tá solteiro tem que suportar posts amorosos nas redes sociais, vitrines cheias de corações, comerciais temáticos e toooda aquela publicidade que vocês já sabem. Enfim, vamos falar de coisa boa? Iorguteira Top Therm

   O blog tá de cara novíssima! O Layout anterior tinha sido todo feito por mim mesmo, que não entende nadica de nada de html. Então, resolvi dar um up no visual do Olhei no Rodapé contratando a linda da Maidy, que fez esse trabalho incrível que vocês tão vendo!

   O layout novo foi instalado esse fim de semana, então pode ser que vocês ainda se deparem com algumas mudanças até semana que vem. Porém as categorias e o estilo dos posts vai continuar igualzinho! Vou ficar super feliz se vocês tiverem sugestões de mudança e me ajudarem nessa, viu?

   Amanhã tem dois posts: um do Especial Me Before You (tinham sessões especiais do filme esse fim de semana! Vocês viram?) e outro surpresa. Espero vocês!
 







Especial Me Before You #2

quinta-feira, 9 de junho de 2016

Esse post faz parte do Especial Me Before You. Você pode conferir tudo sobre essa série de posts aqui neste link, ou pode escolher outras categorias no menu!

      Dando continuidade ao nosso Especial, vamos falar sobre o processo de produção do filme! Se você perdeu o primeiro post, em que conversamos sobre a Jojo Moyes e sua trajetória, você pode acessar esse link! A enquete para saber qual o assunto que vocês mais gostariam de ver já foi encerrada, mas vocês podem contar o que estão achando e o que gostariam de encontrar nos próximos posts através do Twitter ou Facebook. Aliás, isso vale para todos os posts! Não deixem de me contar a opinião de vocês.

     Que Emilia Clark (A Daenerys de Game of Thrones) e Sam Claflin (O Finnick de Jogos Vorazes) irão dar vida a Lou e Will muita gente já sabe. Mas fazendo esse post pra vocês eu confesso que descobri que o Matthew Lewis (o Neville da saga Harry Potter) vai viver o Patrick! Isso só dá mais peso ainda para o elenco do filme, porque todas essas sagas têm muitos fãs e é bem possível que as salas de cinema lotem ainda mais do pessoal que acompanha o trabalho de todos esses atores.







Prazer, Meu Nome é... Thalita Rebouças

segunda-feira, 6 de junho de 2016

Foto: Casé Assessoria
   
Estavam com saudades da categoria Prazer, Meu Nome É...? Eu confesso que eu estava! Adoro escrever posts desse tipo porque acabo conhecendo muito mais sobre os autores, suas obras, seus estilos... Gente curiosa é assim mesmo. 

Hoje a gente conversa sobre a brasileira carioca Thalita Rebouças. Ela é autora de vários livros que fazem muito sucesso por aqui, mas sua série mais conhecida é a Fala Sério... Tem Fala Sério, Professor!, Fala sério, Amiga!, Fala sério, Amor!, dentre outros. Cada um deles é uma coleção daquelas histórias gostosinhas de ler, que a gente adora discutir em mesa do bar (ou no intervalo da escola, dependendo da sua idade) e acaba rendendo boas risadas ou até lágrimas.

   A Thalita começou faculdade de Direito mas trancou e foi pra Jornalismo, curso que amou logo de cara. Ela conta que adorava escrever desde muito cedo e que sempre foi fera em português. O mais bacana, porém, foi que Thalita lutou muito pelo seu lugarzinho nas estantes: sua primeira bienal foi uma "pagação de mico", como ela mesma define: até bater palma e gritar pra chamar o pessoal pro estande da editora ela fez. O resultado? Muitos exemplares vendidos e muitos autógrafos. Quando seu livro de estreia (Traição Entre Amigos) foi pra segunda edição, Thalita pegou ainda mais pesado na divulgação e hoje já vendeu por volta de 1 Milhão de livros! É pra se inspirar demais, né? Se você quiser conhecer (ou relembrar) mais ainda sobre o trabalho dessa linda, tem site oficial dela! De cara, adianto que é impossível não se identificar com pelo menos um de seus títulos. 

Então é isso, pessoal! Uma conversinha rápida sobre uma autora brasileira que muita gente adora é bom pra começar a semana com o pé direito, né? Amanhã tem o post #2 do Especial Me Before You. Vejo vocês lá! 







Especial Me Before You #1

quinta-feira, 2 de junho de 2016

  
Esse é o primeiro post do Especial Me Before You. Não tá sabendo do que se trata? Dá uma olhadinha nesse post.

Pauline Sara Jo Moyes (sim! Esse é o nome completo dela!) tem 47 anos e nasceu em 4 de agosto. Começou a trabalhar antes de entrar na faculdade, sendo que seus empregos incluíram desde atendente de telemarketing até leitora de braile. Vale lembrar que, em Londres (onde Jojo nasceu e morava naquela época) essas são profissões que pagam em média um salário mínimo (cerca de £ 850). 

Depois, Moyes ingressou na Royal Holloway, uma Universidade pública de Londres. Lá, ela cursou Jornalismo e há singelos 22 aninhos atrás a ganhou uma bolsa para sua pós graduação. Diferentemente do Brasil, na Inglaterra existem instituições privadas voltadas para o financiamento e apadrinhamento estudantil mesmo na pós-graduação. Foi no jornal que lhe cedeu a bolsa (o The Independent, um dos mais importantes do país) que Jojo trabalhou por 10 anos antes de resolver se dedicar de vez aos seus livros.

Se você pensa que o sucesso veio rápido pra ela, pode ter uma surpresa: Jojo escreveu nada menos que oito livros antes do enorme sucesso de Como Eu Era Antes de Você. Entre eles, está o hoje famoso A Última Carta de Amor, que foi escrito e lançado em 2010: dois anos antes do MBY. 

Uma característica bem marcante de Jojo é que ela costuma dizer que, se não chora enquanto está escrevendo seus livros, não está fazendo um bom trabalho. Suas protagonistas são sempre muito fortes, determinadas e mulheres meigas, porém geniosas e marcantes - não existe no universo Jojo aquela história de "pobre mocinha indefesa". Isso não é incrível? Eu mesma cansei de ler romances em que a mulher se colocava no papel de apaixonada, vulnerável, delicada e idiota...

Em termos de prêmios, Moyes já faturou o Romantic Novelist’s Award, uma importante premiação britânica, duas vezes! Seus romances são, de forma geral, muito bem recebidos pela crítica e mais ainda pelo público. Ela tem muitas obras que não possuem versão aqui no Brasil ainda... Quem se arrisca no inglês pode tentar devorar essa lista toda:

❣   Sheltering Rain
❣   Foreign Fruit
❣   The Peacock Emporium
❣   The Ship of Brides
❣   Night Music
❣   The Horse Dancer
❣    Honeymoon in Paris

 Aqui no Brasil, já temos publicado: A Última Carta de Amor, Como Eu Era Antes de Você, Um Mais Um, A Garota que Você Deixou para Trás, Depois de Você, Em Busca de Abrigo, A Casa das Marés e Baía da Esperança. Ufa! Confere só as (lindas e delicadas) capas nacionais (é só clicar na imagem pra vê-la em tamanho maior):

Imagem: blog Mais que Livros


Vocês sabiam que a própria Jojo foi quem escreveu o roteiro da sua primeira adaptação cinematográfica? Apesar dessa capacidade em se superar (igualzinho a Louisa), a melhor amiga da autora diz que ela se parece muito com a protagonista de Um Mais Um, Jess: uma moça otimista e persistente. Jojo se define como um pouco de cada personagem sua, e confessa que hoje em dia escreve simplesmente quando dá tempo! Afinal, ela tem três filhos. Mora com o marido em uma fazendo em Essex e diz que umas três ou quatro vezes por ano precisa viajar pra conseguir tirar as distrações da cabeça e ser produtiva. O fato é que Jojo já virou queridinha de muitos leitores pelo mundo!

E aí, gostaram? Contem pra mim o que tão achando desse e de outros posts! Um beijão e até mais!







Notas do Autor - Soundtracks

terça-feira, 31 de maio de 2016

   Você com certeza já reparou que alguns filmes, animes e outras produções em vídeo possuem uma trilha sonora maravilhosa. Seja porque combinam com o clima do roteiro, sejam pra morar na sua playlist; muitos filmes mexem com a audição também. Não é à toa que existe uma categoria só pra isso no Oscar e em outras premiações!
   É uma delícia ver um filme ou série que a gente gosta e perceber que a trilha sonora também combina com a gente. Existe um mar de fãs de trilhas sonoras como as do filme As Vantagens de ser Invisível, que inclui bandas marcantes como New Order e The Smiths. É ideal para livros como o que deu origem ao filme: reflexivos, envolventes mas não pesados.


   As séries também não ficam de fora. Produções como Supernatural incluem Led Zeppelin, Bon Jovi, AC/DC e outros clássicos que agradam aos ouvidos de muitos fãs. Perfeito pra acompanhar leituras de romances policiais ou investigativos, não acham?
   Pra quem curte uma música mais zen, pode conferir os soundtracks de séries mais adolescentes, como Pretty Little Liars ou Mean Girls. Esteja preparado para muito pop, letras que grudam na cabeça e que podem ser perfeitas acompanhantes para livros mais despretensiosos e superficiais.
   Muita gente defende que ler e ouvir música ao mesmo tempo não dá certo. Particularmente, faço parte das pessoas que funcionam muito melhor fazendo duas coisas ao mesmo tempo: estudando e ouvindo música, cozinhando e cantando, e por aí vai. Ultimamente, tenho me dado muito bem escutando trilhas sonoras de animes (os famosos desenhos japoneses) enquanto estudo. Minha favorita é do meu anime preferido: Death Note tem a trilha sonora toda instrumental e pode ser uma boa pra você que também curte colocar os tímpanos para trabalhar enquanto faz outra coisa.
   Aliás, alguns estudos sugerem inclusive que a leitura facilita e melhora o aprendizado. Esse experimento britânico conclui que ouvir música clássica durante o aprendizado melhora em até 12% o desempenho do estudante. Já pensou?
   Você encontra em vários blogs sugestões de estilos atrelados aos mais diversos gêneros literários. Aqui no Olhei no Rodapé você confere essa sessão, onde eu dou algumas dicas que funcionaram super bem pra mim e para outras pessoas que me deram a dica: é só navegar pelas Notas do Autor ali no menu de categorias. Tem sugestão de música boa pra ouvir enquanto lê? Deixa aqui nos comentários ou conta lá no Twitter ou no Facebook. Nos vemos no próximo post!







Especial Como Eu Era Antes de Você

sexta-feira, 27 de maio de 2016


   Não, o título desse post não está errado. Como prometido lá no Twitter, nesse feriado os fãs de Jojo Moyes vão ter uma surpresa aqui no blog; afinal é preciso força para lidar com a ansiedade até a estreia do filme de Como Eu Era Antes de Você, é ou não é?
 
   O Olhei no Rodapé te dá uma ajuda: serão CINCO posts sobre a história que emocionou um monte de gente (inclusive eu, né? Tem resenha contando tudo aqui!). Tem trechos de entrevistas com os atores, fotos, curiosidades, trechos e muuuito mais sobre um dos romances mais bem sucedidos da atualidade. Vamos falar sobre os capítulos mais marcantes, a escolha do elenco do filme, o processo criativo da autora e tudo o que você sempre quis saber sobre o livro que tanta gente ama e que já já está chegando às telonas.

   E pra você que ainda não conhece o Me Before You, ainda dá tempo de conferir uma sinopse e correr pra livraria:

   Louisa Clark é uma atendente de um café conformada com seu trabalho e sua família problemática. Quando perde seu emprego de repente, a moça vê no ofício de cuidadora sua única chance de se sustentar. É quando conhece Will Traynor, um tetraplégico recente que mostra que a troca de experiências e pensamentos pode ir muito além de uma relação profissional. Com personagens profundos e cativantes e uma história plausível, Como Eu Era Antes de Você traz para a literatura romântica o frescor e o sentido que ela precisava. 
   Não se interessou? Não se preocupe! Outros posts do Olhei no Rodapé continuarão tratando sobre diversos assuntos. As publicações pertencentes ao Especial receberão um selo logo no começo, igualzinho esse aqui de baixo:


    Os posts do Especial começam a ser publicados 02 de junho, em dias alternados. Lembrando que você pode pular direto para os posts que te interessam navegando no índice ou no nosso menu de categorias aqui do lado esquerdo. Quer mais? Pois tem! Você pode contar o que você quer conferir no especial nessa enquete temporário, logo abaixo do desse mesmo menu de categorias sobre o qual falei. Bora votar?!

   Contem pra mim lá no Facebook, no Twitter ou nos comentários aqui do blog o que vocês acharam sobre essa história de Especial! Aliás, falando em Facebook... A página vai ganhar posts lindinhos com trechos de livros, artigos científicos que comprovam o bem da leitura para sua saúde e outras coisas bacanas. Corre lá pra curtir! Um beijão e... Vejo vocês no próximo post!







Meu Universo Particular, Frederico Elboni

sexta-feira, 20 de maio de 2016


Sinopse oficial: Se você já conhece o Fred, sabe que seus olhos vão brilhar ao correr por estas páginas, ao mesmo tempo em que um lindo sorriso - ou dois - se abrirá em seu rosto. Sabe que cada palavra terá um quê de diversão e sinceridade, e vai embalar você em uma conversa tão gostosa que a vontade de passar horas folheando este livro será imensa. Provavelmente você também sabe que ele ama compartilhar momentos e acredita verdadeiramente que a vida só faz sentido quando se tem alguns sonhos, lembranças, risos, cobertores e abraços. E, claro, alguém especial com quem dividir tudo isso. Aqui, ele abre seu universo particular e te convida para fazer o mesmo. Mas, caso você ainda não conheça o Fred, esta é a sua chance de se deliciar com esta coletânea de frases que traz o melhor dele. Você com certeza vai adorar.    

Nada melhor do que voltar a ativa de vez com um Domingando, né? Afinal, não há nada mais gostoso do que achar aquele livro maravilhoso esperando por você em um fim de semana que não parece muito promissor. É o seu caso? Então vem comigo que hoje a gente fala de um livro perfeito pra preencher o vazio do seu sábado à tarde: Meu Universo Particular é do Frederico Elboni (já falamos mais dele aqui!) pela editora Benvirá.

  Em primeiro lugar, é necessário dizer que Meu Universo Particular não é uma coletânea de crônicas, como a estreia do Fred nas livrarias (Um Sorriso ou Dois). É preciso se atentar a isso, porque não existe uma sinopse muito bem detalhada no verso do livro e você pode comprá-lo esperando outro tipo de leitura. Na realidade, Meu Universo Particular é uma série de frases e pequenos trechos, regados a imagens e ilustrações muito bem escolhidos. É o tipo de leitura leve, gostosa, especial para aqueles momentos em que você procura uma citação bem escrita e que expresse o que nem mesmo você está conseguindo.

   A edição é muito delicada. Dá pra notar que o alvo é mesmo o público jovem feminino, mas não é o tipo de leitura que faz com que você se sinta intelectualmente subestimado... É algo sutil, bem pensado e muito sentimental, sim, mas sem perder a estrutura considerável.

   É algo para se ler durante um café, talvez. Um demorado fim de semana chuvoso, uma visita ao campo que não certo... Aqueles dias que você sabe que um livro é o melhor remédio ou vacina. É também um ótimo guia para aquelas brincadeiras do tipo sortear uma citação do dia ou escrever um poema baseado em um trecho de livro... Quem nunca, né?

   Aproveitando o post de retorno, gostaria de agradecer aos mais de 350 seguidores no Twitter! Que alegria imensa ver que o blog já conquistou tudo isso em tão pouco tempo! Agradecer mais ainda ao pessoal que começou a curtir a página lá no Facebook, que vai estar cheia de novidades logo, logo. Divulguem o blog pra quem vocês sabem que ama ler também! Afinal, ninguém merece falar sozinho, né?

   Estou dedicando um pouco mais de tempo à conhecer os lançamentos das principais editoras, a entender como funciona literaturas pouco difundidas na blogosfera (como a literatura oriental, por exemplo) e pretendo trazer tudo isso pra vocês. Vamos conversando? Beijo e espero vocês no próximo post!
  







Carta de Amor aos Mortos, Ava Dellaira

sexta-feira, 13 de maio de 2016

Sinopse oficial:  Tudo começa com uma tarefa para a escola: escrever uma carta para alguém que já morreu. Logo o caderno de Laurel está repleto de mensagens para Kurt Cobain, Janis Joplin, Amy Winehouse, Heath Ledger, Judy Garland, Elizabeth Bishop… apesar de ela jamais entregá-las à professora. Nessas cartas, ela analisa a história de cada uma dessas personalidades e tenta desvendar os mistérios que envolvem suas mortes. Ao mesmo tempo, conta sobre sua própria vida, como as amizades no novo colégio e seu primeiro amor: um garoto misterioso chamado Sky.
Mas Laurel não pode escapar de seu passado. Só quando ela escrever a verdade sobre o que se passou com ela e com a irmã é que poderá aceitar o que aconteceu e perdoar May e a si mesma. E só quando enxergar a irmã como realmente era — encantadora e incrível, mas imperfeita como qualquer um — é que poderá seguir em frente e descobrir seu próprio caminho.
   Como prometido, o Olhei no Rodapé está de volta! Sem muitas delongas, o retorno do blog vem com o que ele mais se propõe a fazer: uma resenha. E pode preparar a pipoca que temos muito sobre o que conversar! Hoje falamos sobre Cartas de Amor aos mortos, da americana Ava Dellaira.

   Como fã de rock, a sinopse do livro já me pareceu um tanto quanto interessante e original. Há muito que não me agrada as propostas de romances adolescentes. Falta profundidade, faltava autenticidade. Era sempre a mesma história do mocinho e da mocinha, talvez com alguma dificuldade - ou doença terminal - para dar um ar trágico na história. Mas tudo isso soa comprado, calculado, sem emoção. Talvez uns papos com Kurt Cobain fossem mais diferentes, né? E são.

   Carta de Amor começa sem pretensão e você corre o risco de pensar que o livro todo será sobre uma menina sem graça que não superou a morte da irmã. A escrita é simplória, quase infantil nas primeiras páginas; isso garante lealdade a personagem principal, pois Laurel é uma (pré?) adolescente que desabafa com seus ídolos. Do vocalista do Nirvana à Amy Winehouse, passando por Janis Joplin e Jim Morrison, ao longo do livro fica muito claro as razões de tanto apego por pessoas famosas.

   Laurel tem a personalidade muito influenciável e delicada no começo do livro. Ao longo das cartas, é notória sua evolução não apenas como personagem mas como narradora, e é bem possível que você se identifique com muitas das dúvidas e medos dela. Demorou bastante para que eu conseguisse me apegar a ela, confesso, mas Cartas de Amor é um livro claramente direcionado a reflexão: você não precisa gostar dos personagens, mas refletir sobre a história deles.

Sabe, docinho, existem duas coisas importantes no mundo: estar em perigo e ser salvo.

   Ao longo dos acontecimentos (e das cartas. Porque sim, todo o livro é feito de cartas e mais cartas), você vai descobrindo que o livro é muito mais profundo do que parece. Não é apenas um desabafo adolescente fictício; é sobre a influência da perda, sobre identidade, sexualidade, maturidade, desafios, abusos. É toda uma reflexão gradual que te envolve sem que você perceba.

   A morte de May é um assunto que vai e volta o tempo todo o livro inteiro. Quando Laurel está conversando com seus ídolos sobre sua paixão por Sky, o porre que tomou na festa com as amigas ou outros assuntos que - acredite - você vai querer saber, surge novamente a saudade e o desespero pela irmã nos parágrafos seguintes. Quando me peguei incomodada com isso, percebi: mas não é desse mesmo jeito na vida real? Quando perdemos alguém querido e seguimos em frente, não acontece muitas vezes o retorno daquele sentimento de vazio e angústia?

   Alguns confrontos psicológicos que Laurel enfrenta diariamente e são muito importantes ficam claros apenas na segunda metade do livro. É muito gostoso quando um livro te surpreende em sua profundidade, deixando rastros que você não esperaria encontrar e marcando de uma forma positiva. Por algum motivo, ainda não foi minha melhor leitura anual - aquela que dá um verdadeiro anúncio "sou inesquecível" no final, sabe? Mas, sem dúvida, é um livro profundo e bem trabalhado.

   A separação dos pais da protagonista, seus relacionamentos (afetivos ou não) e sua própria descoberta por identidade tornam a leitura envolvente. É gostoso ver como Laurel evolui como pessoa, aprendendo a lidar com seus traumas e limitações. No fundo, fica a esperança de que um dia todos nós consigamos também.

Classificação final
  







De volta!

domingo, 24 de abril de 2016

Foi quase um mês sem postagem. Eu sei. Dentre os motivos, misturam-se falta de tempo pra colocar a leitura em dia e os famosos processos de seleção de parceria: como é triste a recusa, né? Ainda estou me recuperando de um punhado de respostas negativas. Contudo, o blog é só um bebê e eu cuido dele por amor, então vamos que vamos!

Aproveitando o recado de que o Olhei no Rodapé não foi abandonado, vai aqui uma dica preciosa para quem possui Netflix: o queridão adicionou vários filmes inspirados em livros no catálogo. Tem Se eu Ficar, inspirado no famoso e popular Romance da Gayle Forman, e o Ele Está de Volta (inspirado no livro do Timur Vermes que tem resenha aqui no blog!), por exemplo. Enquanto os posts de costume não voltam, preparem uma pipoca e contem pra mim se vale a pena?!

Falando em volta... Sim, ela acontecerá. Enquanto isso, tem os posts anteriores pra você dar uma olhada: eles são separados por categoria aqui na barra lateral esquerda, já viu?

Vejo vocês (com novos posts!) em breve!







Wishlist - Primeiro semestre de 2016

segunda-feira, 28 de março de 2016

   Quem não gosta de ler conhece aquele amigo, namorado ou familiar que adora. E nós, os que amam leitura, nos perdemos pelos corredores das cada vez mais numerosas e grandiosas livrarias. As editoras fazem eventos, parcerias e edições cada vez mais caprichadas: não é mais tão fácil fugir do universo de quem adora se perder em páginas, sejam elas virtuais ou não. Mas e quando a variedade é tão grande que a gente nem sabe por onde começar?
   É por isso que hoje eu compartilho com vocês 5 obras que pretendo ler ainda nesse primeiro semestre de 2016. Vamos conversar sobre a sinopse e os motivos que me fazem procurá-las nas prateleiras e cogitar a hipótese de transportá-las para a estante. Vamos lá?

Depois de Você - Jojo Moyes
A sinopse oficial pode conter spoilers! Por isso, optei por disponibilizá-la em um link separado. Você pode conferir aqui!  Quem viu a resenha do aclamado Como Eu Era Antes de Você percebeu que, assim como milhares de leitores, eu caí de amores por Jojo Moyes e sua narrativa simples e impecável. A moça não pesou na mão no quesito melação, e o romance mais gostoso que li nos últimos anos já tem continuação. Como vocês sabem, o Olhei no Rodapé é totalmente contra spoilers (você sabe o que é um spoiler? Clique aqui se não souber!), então só dá pra dizer que o primeiro livro deixa uma lacuna muito interessante. Não dá pra ignorar o desejo de ler Depois de Você o quanto antes! A curiosidade de saber se Jojo conseguiu embalar a continuação de tudo da mesma maneira delicada e envolvente toma conta.




O que Há de Estranho em Mim - Gayle Forman
Sinopse oficial: "Ao internar a filha numa clínica, o pai de Brit acredita que está ajudando a menina, mas a verdade é que o lugar só lhe faz mal. Aos 16 anos, ela se vê diante de um duvidoso método de terapia, que inclui xingar as outras jovens e dedurar as infrações alheias para ganhar a liberdade. Sem saber em quem confiar e determinada a não cooperar com os conselheiros, Brit se isola. Mas não fica sozinha por muito tempo. Logo outras garotas se unem a ela na resistência àquele modo de vida hostil. V, Bebe, Martha e Cassie se tornam seu oásis em meio ao deserto de opressão. Juntas, as cinco amigas vão em busca de uma forma de desafiar o sistema, mostrar ao mundo que não têm nada de desajustadas e dar fim ao suplício de viver numa instituição que as enlouquece." - A autora de Se Eu Ficar veio com uma sinopse ainda mais promissora dessa vez. Além de se adequar muitíssimo bem a muitas realidades em vários âmbitos diferentes, O que Há de Estranho em Mim parece ser um livro intenso, reflexivo e cheio de metáforas. Fiquei no mínimo curiosa e - confesso - tenho altas expectativas. É esperar (e ler) pra ver!

Caixa de Pássaros - Josh Malerman
Sinopse oficial: "Basta uma olhadela para desencadear um impulso violento e incontrolável que acabará em suicídio. Ninguém é imune e ninguém sabe o que provoca essa reação nas pessoas. Cinco anos depois do surto ter começado, restaram poucos sobreviventes, entre eles Malorie e dois filhos pequenos. Ela sonha em fugir para um local onde a família possa ficar em segurança, mas a viagem que tem pela frente é assustadora: uma decisão errada e eles morrerão." - Eis um pupilo meu desde o ano passado. Enrolei, enrolei e enrolei e acabei esquecendo de um dos suspenses mais comentados ultimamente. Caixa de Pássaros é uma das minhas apostas mais fortes desse semestre pra suspense, gênero mais do que favorito como vocês já estão carecas de saber. A história fala sobre um surto mundial de suicídio: ninguém sabe o que desencadeou essa espécie de epidemia nem como combatê-la. Uma mulher e seus dois filhos tentam escapar de todo esse terror, e é aí que começa o que muita gente diz ser uma experiência aterradora. Quero muito!


A Arte da Guerra - Sun Tzu
Sinopse oficial: "O maior tratado de guerra de todos os tempos em sua versão completa em português. 'A Arte da Guerra' é sem dúvida a Bíblia da estratégia, sendo hoje utilizada amplamente no mundo dos negócios, conquistando pessoas e mercados." - Nunca fui muito chegada em livros que falam sobre estratégias. Não que eu não ache que eles sejam importantes... É só o tipo de literatura que não me prende, não me desperta curiosidade e me impede sempre de passar da décima página. Contudo, tenho excelentes experiências com literatura oriental e me simpatizei muito com a disposição da nova edição de A Arte da Guerra. Sun Tzu distribui em 13 enxutos e fluidos capítulos truques estratégicos chineses que podem ser aplicados para tudo nessa vida. O fato é que fiquei muito curiosa depois de folheá-lo em uma visita à livraria e pretendo descobrir se ele é tão interessante quanto parece. Prometo contar tudo!



Ovelha (Memórias de um Pastor Gay) - Gustavo Magnani
Sinopse oficial: "Um pastor gay, casado com uma ex-prostituta, filho de uma fanática religiosa. Neurótico e depravado. E agora condenado. Internado no hospital, debilitado e com um segredo de uma tonelada nas costas, este personagem atormentado decide libertar-se de seus demônios e relatar seu drama. Num relato cru e sem censura, ele literalmente vomita seus trinta anos de calvário e charlatanice na cara da congregação (e de qualquer um que se interesse por um bom inferno)." - Eu adoro uma boa e bem implantada polêmica, especialmente em se tratando de religião. Eu sei, eu sei... Existe a velha expressão que diz que religião não se discute, mas é impossível negar que o senso crítico aflora quando vemos tanta coisa errada em diversos meios, inclusive esse. Não sentir no mínimo curiosidade pela obra de Gustavo é quase como perder a oportunidade de descobrir o que pode ser uma excelente crítica social. Pago pra ver!



Tô morrendo de curiosidade pra saber qual é a wishlist de vocês! Vale contar por aqui mesmo, pelo Twitter (mais de 260 seguidores! Obrigada, galera!) ou até pelo Facebook. Espero vocês no próximo post







O Demônio do Meio Dia, Andrew Solomon

terça-feira, 22 de março de 2016

Sinopse oficial: "Partindo de sua própria batalha contra a depressão, Andrew Solomon constrói um retrato monumental da doença que assola nossos tempos. Lançado em 2000, O Demônio do Meio-Dia continua sendo uma referência sobre a depressão, para leigos e especialistas. Com rara humanidade, sabedoria e erudição, o premiado autor Andrew Solomon convida o leitor a uma jornada sem precedentes pelos meandros de um dos temas mais espinhosos e complexos de nossos dias. Entremeando o relato de sua própria batalha contra a doença com o depoimento de vítimas da depressão e a opinião de especialistas, Solomon desconstrói mitos, explora questões éticas e morais, descreve as medicações disponíveis, a eficácia de tratamentos alternativos e o impacto que a depressão tem nas várias populações demográficas (sejam crianças, homossexuais ou os habitantes da Groenlândia).
No epílogo inédito escrito exclusivamente para a nova edição brasileira, conhecemos o que aconteceu com Solomon, com os entrevistados e com os tratamentos da depressão desde a publicação da obra. A inteligência, a curiosidade e a empatia do autor nos permitem conhecer não só as doenças mentais, mas a profundidade da experiência humana."
 Como vocês já estão sabendo, terminei a leitura de Como Eu Era Antes de Você (Jojo Moyes) recentemente. Como comentei no post sobre esse livro, é muita coragem terminá-lo e partir direto para sua continuação; uma ficção que me deixa vulnerável acaba pedindo por um livro um pouco mais sólido em seguida. Mais alguém é assim?

   Bom, resolvi apostar num aclamado científico sobre depressão: O Demônio do Meio Dia - Uma Anatomia Sobre Depressão, de Andrew Solomon.

   Meu interesse por literatura científica é quase restrito a psicologia e suas vertentes. Assuntos meio biológicos, meio psíquicos (a chamada psicobiologia) são o número 1 quando resolvo procurar por algo mais estudioso, por assim dizer. Ávida pela temática, mergulhei de cabeça nas páginas metade poesia metade ciência.

   É um livro denso. E aqui não me refiro ao número de páginas, mas a quantidade de disposição que você precisa ter para ir para cada capítulo. Por vezes, parei na terceira ou quarta página do dia - habitualmente, consumo pelo menos umas quinze. Mas o isto o faz um livro ruim?
  
(Como resistir a um gif de gatinho como esse pra ilustrar o post?)     

   Depende do que você espera dele. Não é, definitivamente, uma leitura descontraída e despretensiosa. O autor faz questão de explicar e misturar aspectos de sua experiência pessoal, filosofia, psicologia e outros estudos o tempo todo, o que faz com que cada parágrafo tenha um elevado peso e traga alguma reflexão. Não é um livro pensado para o seu fim de semana na praia ou para atender a uma expectativa tranquila e romântica. Na realidade, é um convite a abordagem em vários pontos da depressão, excelente para quem procura saber mais sobre a doença.

   Depressão não é frescura e Andrew não apenas deixa isso claro através de entrevistas, dados de estudos confiáveis e experiências pessoais relatadas, como deixa seu leitor munido de argumentos para uma pequena prosa com algum estudioso sobre o assunto. É uma leitura enriquecedora mas muito cansativa, então pense bastante antes de correr para a prateleira ou adicioná-lo a sua cesta virtual. Pessoalmente, estava procurando algo ligeiramente mais fluido (como O Poder dos Quietos, lembram?) mas fiquei feliz com a experiência. Não sei se aconteceria o mesmo caso ainda estivesse na faculdade ou com outras 300 leituras para fazer, pois é o tipo de obra que te consome as energias e demanda uma real determinação para determiná-la. De qualquer forma, agora estou pronta para a próxima ficção, né? Vejo vocês no próximo post!

Classificação final







Saga Encantadas, Sarah Pinborough

terça-feira, 15 de março de 2016

Sinopse Oficial - Veneno, Livro I  
Veneno é o primeiro da trilogia Encantadas, e já é um best-seller inglês. Sarah Pinborough coloca os contos de fadas de ponta-cabeça e narra histórias surpreendentes que a Disney jamais ousaria contar. Com um realismo cínico e cenas fortes, o leitos será levado a questionar, finalmente, quem são os mocinhos e quem são os vilões dos livros de fantasia. 
Sinopse Oficial - Feitiço, Livro II
Em um reino próximo, a realeza anuncia um baile que encontrará uma noiva para o príncipe e parece que o desejo de Cinderela ira ganhar aliados peculiares para ser realizado. Entretanto, não será fácil: ela não é a escolha da família para o casamento real, e sua fada madrinha precisa de um favor em troca da transformação de Cinderela. Enquanto isso, Lilith não está satisfeita com os acontecimentos mais recentes e, ao mesmo tempo em que seu reino parece sucumbir ao frio, ela resolve usar sua magia para satisfazer seus desejos. 
Sinopse Oficial - Poder, Livro III 
Que tipo de bruxaria assolaria uma cidade inteira e seus respectivos habitantes? E, principalmente, que m faria mal a uma jovem, tão boa e tão bela rainha? A não ser, claro, que os olhos não percebam o que um coração cruel pode esconde… Poder é o terceiro livro da saga Encantadas, e traz como história o conto da Bela Adormecida. Entretanto, esqueça os clichês tradicionais e se entregue a uma nova visão dos contos de fada, em que heróis e anti-heróis precisam se unir para não parecerem à beleza superficial de princesas e rainhas egocêntricas e aos príncipes em busca de aventura.

   Quase uma semana sem post! Mas pra compensar, hoje trago uma resenha em dose tripla: vamos conversar por inteiro sobre uma série de livros bastante comentada: a trilogia Encantadas, da Sarah Pinborough.

   Ultimamente existe uma febre muito grande em modificar contos de fada. Parece que depois das séries Once Upon a Time e Grimm terem ganhado o gosto de muita gente, a coisa só ficou mais séria: até a própria Disney que tem há anos suas versões consolidadas de clássicos de contos infantis investiu em Malévola, Cinderela e outros filmes que mudaram em diferentes proporções as visões sobre as famosas princesas, caçadores, feitiços e tudo mais.

   Sempre fui apaixonada por eles. Com mais de 20 anos nas costas ainda não consegui me livrar da obsessão em saber todas as músicas da Disney, do sonho de conhecer os parques em Orlando e tudo mais. Assisti as primeiras temporadas de Once Upon a Time (parei quando colocaram a Elza. Frozen? Numa série de contos clássicos? Oi?), corro pro cinema pra ver adaptações e claro, não deixei de conferir a Saga Encantadas logo que ela foi recomendada por uma amiga minha de longa data.

   Os livros têm aspectos comuns entre si e, ao mesmo tempo, particularidades que fazem com que eles tenham um clima diferente. O que podemos encontrar nos três volumes é uma escrita simplória, quase infantil, permeada por palavrões e descrições rápidas de ações. Não há ambientação bem feita; no máximo uma descrição de duas ou três linhas do cenário em que se acham os personagens. Isso pode ter sido um recurso da autora para a fluidez da história (os três volumes são absolutamente enxutos), mas senti falta de um floreio a mais na descrição dos ambientes e até dos próprios personagens. Cadê o glamour dos contos de fada, minha gente?


   Quando se assiste Once Upon a Time, por exemplo, você começa a ter um padrão altíssimo sobre adaptações desse ramo. Eu esperei pacientemente, nos três volumes, histórias que se interligassem de forma impecável, surpreendente e plausível. Esperava caracterizações psicológicas e visuais deslumbrantes, ironias, maravilhas e surpresas tal qual na série. Bom, a parte de histórias interligadas aconteceu... De forma mais medíocre, mas aconteceu. Dá pra ler os três volumes separados sem qualquer transtorno, embora eu recomende que você os leia na ordem porque a experiência de encaixar as poucas pecinhas aos poucos é muito mais gostosa e menos maçante.

   Acontece que eu acho que a Saga de Pinborough forçou a barra na polêmica e esqueceu de ser profunda. Vemos casais homoafetivos, cenas de sexo (narradas de forma péssima, preciso dizer!) e palavrões, mas história mesmo, profundidade, atenção aos detalhes e complexidade passaram longe. Não são livros absolutamente ruins, mas não é nada para que você possa apostar suas fichas em termos de adaptação de contos. Não é nada grandioso, que vai lhe fazer ter outra versão dos seus clássicos favoritos: é quase uma aba pornô e devassa sobre as histórias que a gente mais gosta.

   Não vou mentir: em vários momentos eu fiquei curiosa para saber o que iria acontecer, mas nada que me prendesse muito ou me fizesse dispensar um episódio de alguma série ou filminho com pipoca, como aconteceu com Como Eu Era Antes de Você ou Battle Royale (posts sobre essas belezinhas aqui e aqui!). Não encontrei as cenas chocantes da sinopse, talvez porque eu esteja muito acostumada com descrições muito mais cruéis e detalhadas sobre quase tudo. Pareceu uma estratégia de marketing (que deu certo) para impulsionar a fama de Encantadas, e não uma apresentação dos livros.

   Se fosse para eleger um dos três como melhor, com certeza eu apostaria no segundo. Feitiço é um pouquinho original, mais envolvente e menos engessado. Li a saga inteira em uma semana, mas Feitiço foi o único dos três que realmente me arrancou algumas arqueadas de sobrancelha. Já li muitas críticas, comentários e resenhas excelentes e positivos sobre Encantadas, mas para mim vale apenas o seu fim de semana - no máximo. Apesar de não ter nenhuma ligação direta com elas, seguirem apenas o mesmo estilo... Fico com as séries! ]


Classificação Final

   Em tempos: pessoal, o Olhei no Rodapé anda com poucos posts porque estou começando os estudos em um novo idioma e trabalhando bastante. Em breve consigo me adaptar e voltar com o ritmo antigo de posts, mas desde já quero agradecer aos mais de 250 seguidores no Twitter! Podem acompanhar pelo Facebook também, porque sempre que posto aqui aviso lá! Um beijo encantado pra vocês!
  



 
© Olhei no rodapé - janeiro/2016. Todos os direitos reservados.
Criado por: Maidy Lacerda
imagem-logo